Em um post anterior, comentamos que o sentido essencial do Marketing é atender as necessidades das pessoas. A princípio essas necessidades seriam analisadas do ponto de vista estritamente comercial, mas é possível enxergar além desse aspecto? Faz sentido enxergar além dele? 

Neste post, vamos comentar algumas iniciativas de empresas voltaram suas atenções para a questão da violência contra a mulher, principalmente durante a quarentena, e criaram ações para ajudar nesse sentido, mostrando que, sim, o marketing também pode atender necessidades que não sejam totalmente comerciais. Vem com a gente! 

Violência contra a mulher e pandemia

O Brasil já tem um triste histórico de altos índices de violência contra a mulher e o confinamento devido à pandemia agravou ainda mais esse cenário. No Rio de Janeiro, as agressões aumentaram quase 50%, de acordo com reportagem do G1

Outra reportagem do UOL aponta que o número de denúncias no 180, linha nacional de atendimento à violência contra a mulher, aumentou 27%

Diante desse cenário, marcas, sejam elas ligadas ao público feminino ou não, podem contribuir de alguma forma e criar ações que não tenham o objetivo primário de vendas? Acompanhe dois cases recentes. 

Grupo Pão de Açúcar e Magazine Luiza acionam o botão de pânico

O Grupo Pão de Açúcar (GPA), responsável pelas marcas Pão de Açúcar, Extra, Assaí e Compre Bem incluiu um botão nos aplicativos dessas marcas no qual as mulheres são atendidas por um chatbot no WhatsApp e direcionadas para serviços psicológicos, jurídicos e outros.

Segundo reportagem da Folha de São Paulo, em agosto a iniciativa (uma parceria com o Instituto Avon) já somava mais de 80 mil acessos. 

Ação semelhante foi feita no app da MagaLu. Nesse caso, o aplicativo incluía um link que direciona a vítima de violência ao serviço 180, e posteriormente foi atualizado para direcionar ao 190 (denúncia que permite o envio de viatura policial à residência da vítima).

Marketing além das vendas

Iniciativas como essas mostram que o Marketing pode sim ir além do atendimento de necessidades puramente comerciais.  

Os principais estudiosos do assunto concordam que, com a sofisticação e exigência maior dos consumidores, o Marketing deve caminhar para criar verdadeiras experiências que conectem causas e estilo de vida. 

Cada vez mais, a tendência é que os consumidores busquem marcas atreladas a um propósito, a causas e iniciativas que faça, diferença na vida das pessoas.  

No festival de Cannes, por exemplo, o maior festival publicitário do mundo, já há categorias que premiam trabalhos que incentivem o cuidado com a saúde e prevenção de doenças, a caridade e também que promovam mudanças culturais positivas e propósito de marcas. 

Tudo isso, é claro, contribui para melhorar a percepção das marcas e, em última análise, impactar indiretamente em vendas. Porém, é inegável que, ao mesmo tempo, contribuir para transformações sociais relevantes ajuda a redefinir o propósito dessas empresas e cria um ambiente de competição mais saudável, com mais engajamento de todos. 

Gostou do artigo?

Se esse conteúdo fez sentido e ajudou você a refletir sobre o papel das empresas e marcas na sociedade e como conciliar vendas e propósito, confira também nossos demais artigos no Blog da Megalógica

Além disso, estamos fazendo lives todas as segundas, quartas e sextas no Instagram da Megalógica com diversos convidados especiais que compartilham suas experiências e insights. Siga nosso perfil e participe do bate papo. Para assistir às lives anteriores, acesse o arquivo do Carrossel do Cirilo neste link

#Megalógica #Megadicas #Marketing #Causas