A adaptação ao novo momento que estamos vivendo foi o tema deste Carrossel do Cirilo, que recebeu Monique Pacheco, fundadora do Unio.RH e empreendedora na área de Recursos Humanos desde 2017.

Monique destaque que desde começamos a ficar em casa, a internet tem desempenhado papel fundamental na busca por novos conteúdos. Muitas pessoas começaram a absorver uma diversidade de conhecimentos e informações.

O MUNDO VUCA

A atualidade é marcada por Volatilidade, Incerteza (uncertainty), Complexidade e Ambiguidade. Essas características formam (em inglês) o acrônimo “VUCA”, que alguns estudiosos usam para descrever o momento em que estamos.

Cada vez mais há informações novas sobre diversos assuntos, por isso já não temos mais certezas absolutas sobre educação, economia, política, etc. Vivemos uma época de descobertas contínuas e cada vez mais rápidas.

OS ESTÁGIOS DA MOTIVAÇÃO

Quando entendemos que o cenário atual mudou e precisamos nos adaptar, entramos no primeiro estágio da motivação: a pré contemplação. Em seguida, vem a contemplação: quando a pessoa começa a avaliar as mudanças que estão acontecendo e o quanto ela está preparada para essas mudanças.

Os próximos estágios são a preparação e a ação: como lidar com tudo o que está acontecendo. A partir daí são traçadas ações concretas para mudar. Monique chama a atenção para o fato de que muitas pessoas ficam presas nos estágios de contemplação, mas não chegam a agir efetivamente para mudar.

Nós não estamos em uma competição de produtividade. Estamos individualmente em busca da nossa forma para lidar com a mudança. Cada pessoa tem seu próprio ritmo para se preparar e agir.

Finalmente, o último estágio é a avaliação e manutenção das suas ações: verificar o que está funcionando e pode ser mantido e aquilo que não funcionou e precisa ser alterado. É importante respeitar seu próprio tempo e individualidade.

O PREÇO DE NÃO MUDAR

Se o mundo inteiro está caminhando para determinada direção, mas você se recusa a sair da zona de conforto, pode sofrer consequências. Pense em qual será o preço a pagar ao se recusar a acompanhar tecnologias, oportunidades, processos e pensamentos.

Além disso, quando você fica parado, acaba se tornando refém das circunstâncias geradas por escolhas que outras pessoas fazem. Quando você não está fazendo nada, ou outras pessoas estão fazendo por você ou você está sendo levado pelas circunstâncias. A consequência é que você deixa de ser o protagonista da sua história para fazer parte da história de alguém.

TENDÊNCIAS PARA O NOVO MERCADO?

Existem profissões ou ramos que serão tendências no cenário pós-pandemia? A resposta é: não sabemos. Porém, certamente haverá competências que serão requeridas e você pode ficar atento ao que você pode desenvolver.

Pode ser que você, independentemente da profissão, precise melhorar a comunicação, a adaptação ou a velocidade em detectar mudanças no mercado, por exemplo. Para Monique, o autoconhecimento é a chave para ter sucesso no processo de mudança.

Sintetizando:

De maneira geral, Monique estabelece alguns caminhos para quem deseja se adaptar ao novo. O ponto de partida é se conhecer. Em seguida, deixar de olhar para o próprio umbigo e olhar o que está acontecendo no mercado e no mundo. Outro ponto importante é comparar como você está e como o mercado precisa que você esteja. A partir daí, é partir para ação no seu tempo e no seu ritmo.

Seu processo pode durar um ano enquanto o de outra pessoa acontece em seis meses, e está tudo bem. Cada pessoa tem suas individualidades, o importante é agir e conseguir se adaptar.