Hoje o Carrossel do Cirilo conversou com Dario Perez, consultor da Planeja Consultoria e professor em gestão.

Em seu negócio, Dario adotou o BSC (Balanced Scorecard) como uma das principais metodologias. Apesar de ser um processo criado há bastante tempo, na visão do empresário, muitas outras soluções que apareceram depois são baseadas em abordagens ligeiramente diferentes do BSC.

O BSC analisa a empresa sob algumas perspectivas. A primeira delas é a financeira. Uma empresa deve gerar valor financeiro para os sócios. De acordo com Dario, até uma ONG precisa gerar dinheiro, caso contrário ela não se mantém.

A segunda perspectiva é a dos Clientes. Para obter os objetivos financeiros, a empresa deve entender o que ela precisa entregar aos clientes para que eles possibilitem que a organização alcance esse resultado. É preciso entregar exatamente o que o cliente necessita, caso contrário você não atingirá o objetivo financeiro.

SER OU NÃO SER DIGITAL? EIS A QUESTÃO

Para o consultor, muitas empresas estão extremamente preocupadas, nesse momento, em oferecer produtos digitais, porém essa nem sempre será a solução mas sim a tecnologia embarcada.

Hoje, muitos negócios precisam entregar um bem físico, porém a tecnologia e a internet podem ser grandes aliadas nessa dinâmica. Utilizar a internet e a tecnologia nos negócios é indiscutível, mesmo para empresas que ofereçam bens não digitais.

Tecnologia e internet podem ser utilizada, inclusive, como formas de relacionamento. E relacionamento se transforma em diferencial competitivo, que gera mais valor para clientes e a própria empresa.

PROCESSOS

A terceira perspectiva do BSC são os processos. De acordo com Dario, essa é onde estão a maioria das falhas das empresas brasileiras. O empresário enxerga nossa cultura como desbravadora, na qual empreendedores gostam de criar novos projetos, porém com muita dificuldade de concretizar esses projetos.

Você pode ter a melhor ideia do mundo, mas se não tiver processos claros, dinâmicas e padrões para escalar o seu negócio, você não vai conseguir decolar. Não ter processos bem definidos, inclusive, pode fazer com que a empresa perca dinheiro com as vendas, pois o custo para entregar o produto pode ser maior do que o retorno.

APRENDIZADO E CONHECIMENTO

Os aprendizados e conhecimentos compõem a quarta perspectiva do BSC. De nada adianta pensar nos ganhos financeiros, em atender os clientes e otimizar processos para gerar valor se nada disso se tornar aprendizado e cultura para a organização.

Se você não gerar conhecimento para o seu colaborador, ele não será capaz de entregar aquilo que você espera e sua performance será, inevitavelmente, pior.

SOBREVIVENDO À CRISE

A consultoria de Dario analisou as empresas que estavam se destacando mesmo durante a crise e constatou que elas tinham cinco itens em comum: flexibilidade de custos (poucos ativos fixos ou ativos de terceiros, portfólio variado de produtos, tecnologia embarcada (usar a tecnologia a favor do negócio), cultura movida a mudanças (pensar sempre no próximo passo, não ficar na zona de conforto), controle e indicadores de gestão.